segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Dia 4 - Snowbike a descoberta de 2013!

Correr de manhã. Por via das dúvidas melhor garantir a prática do dia...
Primeira corrida do ano! Então pronto, mais um esporte para a lista: #5 corrida!



Mas vamos ao que interessa: esporte #6!
Talvez nem precise chegar nos 365 para saber quais serão os top 10. Mesmo sem provar alguns o sexto sentido grita: "Esse vai ser pura diversão!"_anunciando a nova experiência que vinha pela frente: SNOWBIKE!


Diferentemente da bike ski que leva esquis ao invés de rodas, a snow bike é uma montain bike adaptada para a neve. Ainda existe uma confusão de nomenclatura snow bike e bike ski para a maioria significa a mesma coisa, talvez porque a snow bike da atualidade seja uma criação muito recente e a bike ski (também chamada de snow bike) apesar de não muito difundida já existe há muitos anos.

Eu já havia visto uma matéria sobre as magrelas (que não são tão magrelas assim) em uma revista de bike, agora com sua popularidade crescendo foi fácil encontrar para alugar.

As snow bikes surgiram para acabar com a sazonalidade do mountain bike. No inverno muitos atletas que moram na neve treinam ski cross country ou usam sua bike no rolo voltando a pedalar somente no verão. Com o novo brinquedinho é possível pedalar outdoor durante o ano todo. Mais um esporte de inverno que a cada dia ganha novos adeptos!


Entramos na pista de esqui no final do dia, mesmo sem saber as regras e permissões, seria mais fácil subir a montanha com menos esquiadores descendo. Vail está acima dos 2 mil metros de alitude portanto uma inclinação mínima já exige muito mais esforço cardio respiratório que o normal.

As pistas verdes da montanha de esqui (pistas com menor inclinação e menor grau de dificuldade) mostraram se ser as melhores para a escalada no pedal. A bike em alguns trechos íngrimes com muita neve dava uma patinada. É preciso ter técnica para conseguir controlar a tração dos pneus para que os mesmos não girem em falso. A sensação que tive nas vezes que perdi o controle foi a mesma de estar subindo uma estrada de barro batido com limo; é preciso manter a mesma velocidade e giro, qualquer vacilo: Pronto! está fora da bicicleta. Numa das vezes recebi ajuda de um esquiador para que eu pudesse subir na bicicleta e sair pedalando novamente.



"Será que ela se comporta bem na neve fofa?"
A resposta foi branca e gelada com risadas para tentar sair do buraco que me metera. Primeiro afundou o pneu da frente, logo em seguida a bike e eu.

Aprendida a inclinação e piso ideal agora era só traçar o percurso que fosse formado pelo maior número de pistas verdes possível e seguir rumo ao topo. Quase duas horas de escalada e apenas 500 metros de altitude ganhos já estava ficando escuro: hora de saber como a bike funciona na descida.


Na descida a bike me surpreendeu; ela tem mais tração do que eu imaginava. Mesmo descendo pistas azuis (mais ingrímes) ela se comporta bem. Claro que nas vezes que comecei a pegar mais velocidade e resolvi frear ela ficava mais arisca.

A experiência foi absolutamente completa; além de novas sensações nos trouxe um por do sol e final de dia abençoado!
Os próximos 359 esportes que se lixem eu quero mais é snowbike!

3 comentários:

WESS disse...

Snowbike é a minha cara. Preciso provar isso, Luciana Cox!!!

Aliado disse...

Uma bike dessas vai dar imenso jeito na conquista do mundo...podemos atacar não só pelas montanhas cobertas de neve, mas também pelas praias...uah uah uah
Legal esta snowbike!

FLOR E TRAPO disse...

Vou falar o que dessa minha irmã.

Demais adorei.

Luli a bike é pesada? E essa roda!

Beijo
Saudades