segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Xterra Atlantida - relato da prova


Os dias que antecederam a prova desde a chegada aqui no Uruguay me deixaram ansiosa de uma maneira diferente. Conviver com atletas de elite Alexandre Manzan e Andres Darricau me fez enxergar a competição de outro angulo, mais a pressão sem dolo dos organizadores da competição (uma brasileira competindo no Uruguay deveria ser de elite) me fez ir atrás dos meus tempos de todos os Xterras, estudei distâncias, analisei terrenos e depois de ficar bem preocupada  porque poderia decepcionar meus novos amigos, resolvi sair para meditar. Resgatar a minha essência de competir, relembrar porque estou aqui.

Manzan nos dias que antecederam a competição parecia deixar seu corpo em economia total de energia, vários cochilos diários, e enquanto aproveitava para dar mais um poucos minutos antes de largar, Andres tomava banho (para depois nadar?) eu pacientemente escrevia na minha perna nome de todos os amigos que me mandaram energias. Cada um com o seu ritual.

O dia estava ensolarado e contrariando os dias anteriores o mar estava um espelho.
_ "Que sorte que o mar está calmo!"_ Guilherme um brasileiro que fazia seu primeiro Xterra admirava se.
Eu pensava comigo "Sorte? Com tantos nomes na perna? Isso é energia!"

Encarando o mar da maneira que aprendi no Havaí em ritual de purificação; entraria nele com meus medos e sairia fortalecida. Claro que esqueci disso nas primeiras braçadas. Meu Deus! Como nadar me fez falta! Todos os Xterras que fiz estava não diria treinada, mas estava nadando. Ha mais de um ano que não nadava e isso iria me custar de novo o ultimo lugar na modalidade, ou quase.

Por sorte a a natação era menor do que a tradicional: 1200 metros com uma saída na praia, mais uma volta e o sofrimento chegaria ao fim. Subi as escadas correndo feliz para encontrar a minha bicicleta.

Hora de começar a diversão e recuperar posições. O trajeto divertidíssimo de mountain bike trouxe de volta os ânimos. Muito exigente fisicamente, algumas vezes era preciso descer da bike e empurrar no areiao, mas diferentemente de ontem o trecho de praia estava sem vento, Era preciso saber dosar a força e tentar aproveitar ao máximo as brechas de descanso porque não eram muitas! (leia sobre o mountain bike aqui)

O percurso de quatro voltas repetidas era ótimo para pegar todas a manhas de pilotagem e querer fazer melhor na volta seguinte. Enquanto me distraía com isso, o calor castigava e muito. A medida que as voltas iam passando minha energia ia acabando.

Entrei na corrida em terceiro entre as mulheres com uma desvantagem que dificilmente iria buscar.
O percurso da corrida era parecido com o da bike, trilha, areia e praia. Após a primeira volta tive que desviar o percurso entrar no mar para esfriar meu corpo, que já não estava respondendo.

Quando entrava para a segunda volta a quarta mulher ao me ver acelerou o passo, percebi que minha colocação estava em risco.
Quando cheguei na metade do percurso Lucía, uma menina que estava na torcida, de bike rosa e roupa cor de rosa resolveu me acompanhar, deixou sua bike com seu pai que me jogou água na cabeça e seguiu entusiasmada trotando ao meu lado. Por um minuto fechei meus olhos e deixei aquela energia deliciosa tomar conta do momento.

Pouco mais a frente perdi meu posto no pódio, fui ultrapassada no quilometro final da corrida, no momento tentei lutar e acelerar, mas logo percebi que não tinha forças. Segui então curtindo a minha mais nova amiga mirim que me acompanhava sem fazer esforço, assim de mãos dadas a "equipe rosa" cruzou o pórtico de chegada.

"Importante é competir" que nos ensinam desde pequenos, apesar de alguns tilts involuntários de minha cabeça, tem sua verdade sólida. Ali de mãos dadas à Lucía valeu a corrida, a amizade dela, dos aventureiros apaixonados por esporte Rubén e Frederica que concretizaram a experiência Xterra Uruguay. Valeu a energia enviada por todos os amigos, os dias de sol, a troca de vivência com atletas de alto rendimento, os dias de praia, Valeu Uruguai!

Parabéns Manzan pelo lugar mais alto do pódio!
Obrigada Rúben e Frederica e todos os uruguaios por nos receberem tão bem!
Obrigada Tom, mano, como sempre a bike estava redondinha!
Ready4 pelos treinos, New Balance e Suunto pela parceria!

Aberta a tempoarada oficial 2015 de aventuras!
Vem com a gente!

3 comentários:

licacox disse...

Parabeeeeeeeens!!!!!

Anônimo disse...

Um exemplo... parabens e continuação

Fabiana PONTES disse...

Aowwww luli cox gurrera! Parabéns! Relatos sempre tão ricos de emoções! 2015...simbora