quarta-feira, 2 de junho de 2010

TRANSGERMANY 1o dia de prova

1ª ETAPA
GARMISH – LEMOOS 84KM – 2154 de desnível acumulado.

Desde que chegamos aqui, o tempo parece piorar. Hoje a chuva não parava de cair e na previsão a temperatura não passava dos 4 graus. Assustador.
Meu uniforme pink estava bem disfarçado, pernitos, cobre sapatilhas, manguitos pretos e por cima ainda o skin da kailash. Ontem eu me preocupava com o meu modelito. Hoje diante da previsão de ficar congelada, eu não estava nem ligando muito para a minha aparência.
A largada foi às 10hs e com o meu numero 31, eu larguei de novo na frente, lá estava eu metida no meio da elite mais uma vez. Pronta, para os 84 km do dia.
Logo na largada encontrei com um belga que fez a Transrockies e me disse que o percurso aqui na alemanha não era nada técnico, apenas estradões, o que já abaixava a previsão de tempo que eu havia calculado para o dia.
No começo da prova não senti tanto frio. O visual destraía, paisagens lindíssimas, pinheiros, arvores com um verde quase fosforescente, e por diversas vezes margeamos um rio lindo com água de degelo. Ops água de degelo? Sim, emoldurando essa pintura, enormes montanhas cobertas de neve. A neve ficava cada vez mais próxima...
Depois de 20 km pedalados, como se diz em Portugal; já não havia mais piada. Meus pés e minhas mãos totalmente congelados e nada parecia melhorar.
Encontrei com alguns amigos no caminho; gente que pedalou em Riva del Garda, no Cape Epic e na Transrockies!
Depois dos 50 pedalados eu cheguei ao limite do sofrimento. Começou um downhill e o vento gelado piorou a situação. Eu comecei a chorar, chorar mesmo, parecia a Dri! (Dri não fica brava, até pensei e se você tivesse aqui seriam duas chorando) Fiquei sem saber o que fazer, pensei em parar, em desistir, em pedir ajuda, até que cheguei no segundo ponto de água. Lá tomei algo quente e tentei disfarçar o choro.
Graças a Deus depois veio uma subida, e o meu corpo começou a esquentar, minhas mãos melhoraram. Meus pés? Bem, eu já estava ficando acostumada com aquela dor mesmo.
A chegada foi um grande alivio, sabia que um banho quente me esperava.
O primeiro lugar masculino da prova ficou com Christoph Sauser com 3’08” hs
O João terminou 74º (de 525) com 3’42 hs, o José 201º com 4’10 hs. E Euzinha em 5’56 hs, em 95º das 119 na minha categoria...
Claro que quando eu cheguei, eles já tinham arrumado hotel, pego a minha mala, e ainda lavaram minha bike, pedalar devagar tem suas vantagens!
O desenho da previsão do tempo de amanhã continua com flocos de neve. Adiaram a largada para as 11hs da manhã. Mudamos de país mas ao que tudo indica aqui na Austria também neva! Energias QUENTES brasileiras por favor! Até amanhã!


5 comentários:

Malavolta disse...

Força Luli!!!
You know who you are!!!

Lica disse...

Pensa o tempo todo em chocolate quente !!!!! e sinta meu abraco quentinho, vela eu ja acendi pra nao nevar mais.... poe um ovo em cima do telhado pra Santa Clara acho que pode funcionar pra neve....
LUV

Vicente Piserni disse...

Força Lú, Bjs Vicente

Carola Montoro disse...

Uhuhuhu!!!
Vai com tudo pequena cor de rosa!!!
Amei a bike... fala para o João que ele arrasou na montagem!!!
beijos

Bruno disse...

Luli .. vai forte e queimando a pururuca .. se é que vc ainda tem hehehe ...

bj.