sábado, 8 de outubro de 2011

Quarto dia da expedição Dourada!

Acordamos com a algazarra de andorinhas que voavam desordenadamente sobre nossa barraca preparando se para migrar. Os dias que pegamos na nossa expedição deixaria qualquer uma delas em duvida, um calor abafado nenhum vento, o refresco ficava por conta dos pingos frios que caiam dos nossos remos, tempo que mais parece verão.


Sem a mesma pressa dos pássaros, arrumamos nossos pertences e partimos rumo ao Pinhão.Remamos 15km ate chegar a eclusa de Valeira. Teríamos que esperar 2hs para descermos mas felizmente haviam barcos subindo e recebemos a autorização para seguir. Foi uma experiência incrível entrar na eclusa e descer naquele elevador de toneladas de água.


Logo depois da passagem a correnteza estava mais forte e numa das manobras o cabo do leme arrebentou. "Não acredito!" No auge da fome querendo aproveitar aquela rara corrente para que nos levasse mais depressa, tivemos que parar na margem e ver se conseguiríamos reparar. Nada feito. Tivemos que seguir da maneira que conseguimos ate encontrarmos foz do Tua aonde paramos para almoçar.


Quarta feira de feriado, obviamente não encontramos nada para arrumar o Svalbard. Prendemos o leme e deixamos ele reto, dali ate o Pinhão as manobras deveriam ser feitas no braço. No finalzinho do dia atracamos no destino e dessa vez nossa barraca ficou no Kayak, fomos logo para o hotel douro Vintage!


Lindo demais com vista para a ponte o rio e claro a nossa amiga lua crescente que tem nos acompanhado. Boa noite!

Um comentário:

João Marinho disse...

Saudades da nossa marina privada e do hotel de 5* à beira rio!