sábado, 8 de outubro de 2011

Terceiro dia da Expedição Dourada

Entrar na água em Barca d'alva foi fácil, difícil foi começar a remar. O peso do remo já não é o mesmo do primeiro dia. Agora estamos sentindo o esforço acumulado dos dias.


Hoje saímos do rio internacional, a paisagem mudou completamente. Os enormes paredões selvagens deram lugar a morros cobertos por videiras e oliveiras de beleza tão estonteante quanto. O paraíso inóspito deu lugar a pequenos e simpáticos vilarejos e também lindas quintas.


Fizemos varias paradas, os braços começavam a queimar e pronto era o suficiente para deixarmos de remar por alguns minutos.
Tínhamos programado para chegar na barragem perto da uma da tarde. Plano dentro da programação, Rui esperava a gente na barragem do Pocinho. Sorte nossa! Porque tínhamos olhado a hora da eclusagem errada! Tiramos o caiaque da água e fomos almoçar em Foz Côa.


Depois de comer decidimos que iríamos seguir viagem, agora sem apoio. "Yuhu!" comemorava João "Agora começa a viagem de macho"

Para a gente que esta acostumado a fazer as expedições em autonomia foi um luxo ter o Rui durante três dias. Agora era hora de abastecer o Svalbard, nosso caiaque com todos os mantimentos necessários para seguir viagem.


Começamos a remar no fim da tarde e antes de ficar escuro já ligamos os radares para achar algum lugar para pernoitar.


As vezes me assusta a maneira com que as oportunidades aparecem na nossa frente. Uma placa nos indicou o caminho; uma marina escondida, um restaurante perto, um perfeito lugar para montarmos a barraca: protegido, coberto pela ponte do trem, plano e com uma vista digna de um hotel cinco estrelas, como se não bastasse, a lua crescente nasceu para abrilhantar ainda mais o cenário. Assim sob um céu estrelado numa margem em freixo de Nunao termina nosso terceiro dia de canoagem.

4 comentários:

Rui Simonetti disse...

grrr ui grrr ai ui ai ai grrr ai grrr ui ai grrr
... a Invenja apoderou-se de mim !!!

Tenho de arranjar um kayak, ou a solo, ou com companhia [alerta a possíveis interessadas(os)], para fazer da Barragem do Pocinho até à Foz do Douro - Freixo. Coisa para 170Kms, + ou -.
Quem sabe?
Se calhar, está mais perto da realidade do que eu próprio imagino.

Voltando ao passado, só consigo definir aqueles dias na companhia do João e da Luci, com 6 letras:

!!! A D O R E I !!!

Beijos e Abraços para todos os Urubus Carecas, Águias Dançantes, Macacas Sonecas, Minhocas Sem Braços, e outros, que se aventuram por este Mundo fôra.

Obrigado João & Luci!

João Marinho disse...

Rui, sem ti nada disto seria possivel!

Conta connosco para o que precisares!

Luli, tudo foi incrivel! Quero remar mais :D

Rui Simonetti disse...

João Luci,

Quando eu fôr, V.s também vêem !!!

Logo se há-de de arranjar alguém para o "meu" lugar !!!

Já comecei a "furar" os ouvidos de possíveis "voluntários" !!!

Obrigado João & Luci

Luci disse...

Rui
Claro que vamos com vc! E pelo visto muito mais gente alinha na proxima expedição dourada, e sabe quem vai ficar no seu lugar...
o Ismael... :)
beijinhos