segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Uma aventura perigosa na Colômbia!

( Por motivo de segurança texto sem fotos. Usem a imaginação!)

De toda a cidade em Cartagena é possível ver o Convento Nossa Senhora da Candelária, padroeira da cidade reinando no cume do Cerro La Popa. De longe o único morro dos arredores parece ser um lugar pacífico, abundantemente verde coberto de mata no meio do caos urbano.

Esse seria o destino da minha corrida matinal. Perguntei na recepção do hotel como faria para chegar lá.  A recepcionista me disse que era longe, que subia muito e que era perigoso. Em nenhum momento ela me convenceu, eu já tinha estudado o percurso e o que ela me dizia não batia com o google maps.

Rota traçada lá fui eu a conquista do cume. Atravessei a muralha do centro velho deixando o conforto para traz. Na avenida já mais próxima do morro parei para pedir mais informações:

"Por onde chego subo para o Convento? É perigoso?"
A segunda resposta a mesma pergunta também não me assustou: "Tem policia por todo o caminho."

O acesso ao morro me lembrou Castelhanos na Ilhabela, para chegar à exuberancia verde é preciso passar por um pequeno trecho pobre, com casas e moradores humildes, talvez por essa semelhança em nenhum momento me senti desprotegida.

Pouco antes de entrar na rua que levaria até o Convento fiz as mesmas perguntas mais uma vez. A terceira resposta foi similar a segunda.

Começando a subir confirmei as informações; um policial de prontidão acompanhava meus movimentos. Duzentos metros mais para cima uma senhora negra  com poucos dentes na boca usando um gorro de papai noel me para:

"Mamitaaaa por Dios! No se puede subir és peligroso."

Entendendo que talvez estivesse passando a fronteira segura resolvi parar e dar ouvidos a ela que se empenhava em encontrar uma moto que pudesse me acompanhar até o cume. Nessa nossa conversa enquanto ela me explicava que eu ficaria sem tenis, sem relógio e sem a virgindade um menino se aproxima e confirma o fato: eu poderia ser arrastada para a mata.

A Colombia é como o Brasil; existem zonas perigosas e outras não, é preciso conhecer as fronteiras.  Abortando a missão fiz meia volta agredeci o conselho e cruzei a muralha volta ao oásis com uma única certeza: Papai noel existe.

4 comentários:

WESS SOARES disse...

Isso que é AVENTURA! Uma "louca" por desafios, sabe a hora de dar ouvido à razão (outros), e seguir em frente; mas para outro rumo. Mamãe Noel existe também, minha querida amiga, Luciana Cox!

Viviane Favery Costa disse...

rsrsrs Merry Xmas!!!

Ines disse...

Faz o favor de tomar cuidado!!! Sua doidinha!

João Marinho disse...

Cuidado...